NA ESCURIDÃO DA NOITE

NA ESCURIDÃO DA NOITE.PT


Portugal

Mais do que um blog de Poetas Anónimos... é um encontro de culturas...

E-MAIL (Envie-nos as suas sugestões)


FAMÍLIA NA ESCURIDÃO DA NOITE:

NA ESCURIDÃO DA NOITE.RTA
 

 

A NOSSA EQUIPA

 
 
 

Duas horas de Poesia, Música, Conversas Poéticas, Agenda Cultural, Rubricas, na sua RTA às quartas-feiras a partir das 23h00 com Pedro Nobre & Rute Antunes, nós esperamos por si...


  

Almourol Castelo de Guimarães Castelo de Marvão Castelo de Óbidos Convento de Cristo Convento e Basílica de Mafra Fortaleza de Sagres Fortificações de Monsaraz Igreja de São Francisco - Porto Igreja e Torre dos Cléricos Mosteiro da Batalha Mosteiro de Alcobaça Torre de Belém Paço Ducal de Vila Viçosa Templo Romano - Évora

Portugal (de nome oficial República Portuguesa) fica situado no sudoeste da Europa, na zona Ocidental da Península Ibérica e é o país mais ocidental da Europa, delimitado a Norte e a Leste pelo reino de Espanha e a Sul e Oeste pelo Oceano Atlântico. O território de Portugal compreende ainda as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, situados no hemisfério norte do Oceano Atlântico.

Durante os séculos XV e XVI, Portugal era a maior potência económica, social e cultural do mundo, com um vasto império mundial. É hoje um país desenvolvido, economicamente próspero, social e politicamente estável e humanamente desenvolvido. Membro da União Europeia desde 1986, é um dos países fundadores da Zona Euro, NATO (ou OTAN) e da OCDE.

Capital Lisboa (38°42'N 9°11'O)
Língua oficial Português
Governo Democracia parlamentar
Formação (868 d.C.)
- Independência: 24 de Junho de 1128
- Reconhecida: 05 de Outubro de 1143

Área
- Total: 92,391 km²
- Água: (%) 0.5

Fonte: wikipedia

 
 


Grupo no Hi5

  
 
POEMAS EM ARQUIVO

 

   
 

ÚTEIS...


 Wikipédia, a enciclopédia livre Dicionário de Língua Portuguesa On-Line

Rimador Luso-Poemas

Palavra Terminação

 

SITES & BLOGS


  

SITES


  

Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
http://www.luso-poemas.net

  Cantinho da poesia
 
El Poder de la Palabra
  Instituto Camões
  Jornal de Poesia
  Poesia Erótica
  PROJECTO VERCIAL
 
Rua da poesia
  Triplov

 

BLOGS


  - A -

  A GRANDE FAUNA
 
A Minha Matilde
  A poesia do Zezinho
  alma da terra
  ALMA DE POETA
  almaenamorada
  Ana Luar
  Antona

- B -

  Blue

- C -

  CaRLOS gAMBOA
 
CCata Fdez
  CinQue

- D -

  DaVID MÕNINO
 
Daya Shakti
 
De Bohemia
  de caminho
  De Propósito

  Descontexto
 
DOCES POESIAS
  dreams

- E -

  efe
 
El desvan
  En estos momentos...
  Enquanto houver tempo
  Espejo de Luna
  ESQUITIN
  EStúdio da raposa
  eterna mente

- F -

  Fases da Lua
  fgiucich

- G -

  GUINEVERE

- I - 

  INSULAR

- J - 

  JOLGORIO

- L -

  lugares celestiales
  Luminescências

- M -

  Mentecato
  MenteSSUELTAS
  Meu Querido DiÁrio
 
Mi opio interminable
  MEMORANDU
  Momentos e Documentos
  Moonlight
  Mundo para ti

- O -

  O Alquimista
 
O Arauto da Ria
  O Sibarita
  otra vez aqui

- P -

  PlayingTheAngel
 
POEMAS DO MIGAS
 
POr Aqui Tudo bem
 
Princesa Dariak

- Q -

  ¿Quería Pensar?

- R -

  Realidade Torta

- S -

  SAndra becerri
  Si Yo No GaNo...
  Som & Tom
  Subversos
  SupermamÁ

- T -

  Tarí Alcarin

- U -

  uniVERSO Informal

- V -

  valÉria tarelho

- Y -

  yoymimismo

 
 

INFO BLOG

 

Desde 19 de Abril de 2005

  online



Licença do Creative Commons

 BLOG AMIGO DO AMBIENTE

  quarta-feira, novembro 30, 2005

  O EVANGELHO POSSÍVEL 

 


I.

Estava a pensar,
Naquela história que nos contaram
E juraram,
Sobre honra e honestidade,
Que era verdade,
O relato destas coisas passadas.
As maçadas,
Tristezas e sofrimento
Que ao lombo de um jumento
Passou um casal no deserto,
Ela grávida,
De um menino de pai desconhecido.
Tivesse sabido
José que a troça que dele se fez
É agora veneração.
Talvez fosse capaz
De olhar para Maria com redobrada paixão.

Imagine, caro leitor
Que um benfeitor
Houve, lá para os lados da Galileia.
Anunciado por Gabriel,
Ardina dos Céus,
Hermes da Cristandade.
Entregou a Maria da semente a metade,
Que divina fosse ou teve de ser,
Que para tal testemunhas não havia.

Agora pense, caro leitor,
Se José não teria,
Por obra de um desejo incontrolado,
Obrado
Em sua mulher, que por direito a tem,
Em grande medida e dedicação,
Feito mais pela consumação,
Do que o relato da História lhe atribuiu.
Assim...
Já o homem que o jumento acompanha
Repleto de contentamento,
Olha para Maria sem ressentimento
Ou dúvida de maior.
Mas prossigamos, caro leitor
Nestas andanças de outrora,
Que é chegada a hora
Da Estrela e dos Magos Reis
Vós sabeis
Que nestas coisas de nascença
Anda a mulher suja
E é crença
Dos Judeus do tempo, que deve purificar.
Nasce do sofrimento da mãe
E nele vai acabar
A vida do pequenino
Do filho do homem,
Feito Deus-menino,
Nas carpintarias da mentira.
Sabe-o bem Maria
Numa grito pô-lo no mundo
E numa lágrima o há-de tirar.

Poupo-o, Caro leitor
Aos detalhes enojosos do parto,
Que tal relato
Não vem ao caso contar.
Maria deu à Luz com dor,
Como todas as Evas deste mundo,
E com amor,
Mais sincero na pobreza,
Abraçou o menino.
Que para tristeza
De uns e salvação de outros,
Tornar-se-á Rei coroado
De espinhos e rechaços,
Deus cravado
Numa cruz de madeira.
Que mentira!
Ou melhor... que estranha maneira
De amar!
Vou-lhe recordar,
Que mesmo agora o relato se iniciou,
E já de sangue e lágrimas
Se pintou
Este quadro tétrico.


III.

E uma tal de Maria de Magdala
Que o Diabo foi buscá-la
Ao ninfado das tentações.
Quis o destino
Ou a história das relatações,
Que Jesus a visse
E curasse.
Do quê não se sabe,
Que o receituário Deus o guardou.
Ficou,
No entanto, registo
Que nisto
Sabe tomar nota o destino,
Que a prostituta não mais pecou.

Mas caro leitor,
Desse amor de que nos fala
A Palavra de entre as palavras a primeira,
Que sentimento tão dedicado
Não houve registo na História.
E se o amor,
Do qual não há memória,
Com tal submissão e pudor,
Fosse antes,
Obra do homem de carne e osso,
Que nestas coisas sempre vacila.
Sendo a de Magdala conhecida sibila
Nas artes de amar.
Deixou-se apaixonar
Jesus homem,
Que o Deus de si
São contas de outro rosário.
E para espanto dos futuros,
Dos doutos cabeçudos do rosário,
Parece escândalo de maior.
Mas para estes indigentes judeus,
Na época de outrora,
Fosse Jesus solteiro por aquela altura,
Em demorada hora,
Já por si passariam comentários
De dedicada malvadez.
Deixou-se amar,
Que para isso veio do ventre de Maria.
Que mais vale amar uns poucos intensamente
Que por metade amar a maioria.

Escandalizaram-se os de hábito
Pelo hábito de se escandalizar
Nestas coisas do humano.
Que pecado!
Amou Jesus a de Magdala
Num amor profano,
Sem que tristeza venha ao mundo,
É que no fundo,
O amor é todo o mesmo,
De manifestações diferentes.
Cansam-se as gentes,
As retóricas e os textos
Os ambidestros
Dos sentidos,
Os polidores da verdade.
Que maldade a tua Jesus1
Que infidelidade!
Amar alguém com dedicação!
Assim...
Esta versão,
Este relato possível,
Do que possivelmente se passou,
Do diz que disse ao que me contou,
Que Jesus era virgem,
Como sua mãe Maria.
Mal sabia,
O Cristo da História,
O cordeiro de Deus,
Filho do carpinteiro de Belém,
Que no adeus,
Sofrido e ensanguentado,
Chorava o pobre coitado
Pela chaga que o coração leva.
Deixou quem ama,
Que chora por ele em silêncio,
Rasgada de dor contida,
Que essa história não é sabida
Mais do que dela se quis contar.
Nota de Autor: O poema Pulo do Lobo, foi uma lenda criada por mim, desconheço se há mesmo uma lenda sobre o lugar, a minha vale o que vale. Apenas não quero induzir em erro alguns amigos que leram o poema no blog e interpretaram como uma lenda já existente... se há a há desconheço-a, apenas me inspirei no nome do lugar.
Escrito por João Miguel Pereira
Um pouco de música :: Tschaikowsky - "Romeo_and Juliet"
--
FONTE
- Foto disponível na URL: Marianista
 

NA ESCURIDÃO DA NOITE - O blog do poeta anónimo

 


6 Comentários:

Blogger Freyja disse...
cada vez que llego aqui, es encontrarse con un mundo muy bello.
Un mundo que entrega todo lo que necesitomos: Paz
un abrazo para: Joao Miguel Pereira, por esto tan lindo
y un abrazo a todos los que hacen posible este mundo de palavras que alimentan el alma

besos y sueños

verena
30 novembro, 2005 03:33  
Blogger João disse...
Gracias Verena!
Espero que no te defraude...

Saludos.
30 novembro, 2005 09:55  
Blogger Paulo Silva disse...
Amigo joão.
Gostei muito do que li .
De tal forma que estou sem palavras.
ABRAÇO .
PAULO SILVA.
30 novembro, 2005 21:55  
Blogger Maheve disse...
Ter Deus, estar em Deus e querer Deus. Não importa o caminho e sim a direção...
01 dezembro, 2005 01:30  
Blogger João disse...
Um abraço forte caro amigo Paulo Silva:

Enche-me de alegria ler um comentário elogioso de um verdadeiro poeta.
Obrigado pela oportunidade de expor alguns dos meus poemas, num espaço com tremenda qualidade e escritores que já passeiam há largos anos neste mundo da escrita. Eu apenas estou a gatinhar.
Obrigado pelas palavras de incentivo que me têm ajudado a continuar.

Um grande bem haja!
01 dezembro, 2005 21:18  
Blogger ¦☆¦Jøhη¦☆¦ disse...
Olá. Quanto ao poema do pulo do lobo considero-me esclarecido, ao lê-lo deu-me mesmo a ideia que era baseado mesmo numa lenda!

Quanto a este poema... confesso que já várias vezes tenho reflectido neste assunto, de haver muito que é contado na Biblia que "não parece ter muito sentido". Creio que está muito bem escrito.

Um abraço, João.
04 dezembro, 2005 12:03  

Enviar um comentário

<< Página Inicial

 


 Criado por Pedro Nobre | Copyright © 2005 NA ESCURIDÃO DA NOITE.PT :: Todos os direitos reservados