NA ESCURIDÃO DA NOITE

NA ESCURIDÃO DA NOITE.PT


Portugal

Mais do que um blog de Poetas Anónimos... é um encontro de culturas...

E-MAIL (Envie-nos as suas sugestões)


FAMÍLIA NA ESCURIDÃO DA NOITE:

NA ESCURIDÃO DA NOITE.RTA
 

 

A NOSSA EQUIPA

 
 
 

Duas horas de Poesia, Música, Conversas Poéticas, Agenda Cultural, Rubricas, na sua RTA às quartas-feiras a partir das 23h00 com Pedro Nobre & Rute Antunes, nós esperamos por si...


  

Almourol Castelo de Guimarães Castelo de Marvão Castelo de Óbidos Convento de Cristo Convento e Basílica de Mafra Fortaleza de Sagres Fortificações de Monsaraz Igreja de São Francisco - Porto Igreja e Torre dos Cléricos Mosteiro da Batalha Mosteiro de Alcobaça Torre de Belém Paço Ducal de Vila Viçosa Templo Romano - Évora

Portugal (de nome oficial República Portuguesa) fica situado no sudoeste da Europa, na zona Ocidental da Península Ibérica e é o país mais ocidental da Europa, delimitado a Norte e a Leste pelo reino de Espanha e a Sul e Oeste pelo Oceano Atlântico. O território de Portugal compreende ainda as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, situados no hemisfério norte do Oceano Atlântico.

Durante os séculos XV e XVI, Portugal era a maior potência económica, social e cultural do mundo, com um vasto império mundial. É hoje um país desenvolvido, economicamente próspero, social e politicamente estável e humanamente desenvolvido. Membro da União Europeia desde 1986, é um dos países fundadores da Zona Euro, NATO (ou OTAN) e da OCDE.

Capital Lisboa (38°42'N 9°11'O)
Língua oficial Português
Governo Democracia parlamentar
Formação (868 d.C.)
- Independência: 24 de Junho de 1128
- Reconhecida: 05 de Outubro de 1143

Área
- Total: 92,391 km²
- Água: (%) 0.5

Fonte: wikipedia

 
 


Grupo no Hi5

  
 
POEMAS EM ARQUIVO

 

   
 

ÚTEIS...


 Wikipédia, a enciclopédia livre Dicionário de Língua Portuguesa On-Line

Rimador Luso-Poemas

Palavra Terminação

 

SITES & BLOGS


  

SITES


  

Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
http://www.luso-poemas.net

  Cantinho da poesia
 
El Poder de la Palabra
  Instituto Camões
  Jornal de Poesia
  Poesia Erótica
  PROJECTO VERCIAL
 
Rua da poesia
  Triplov

 

BLOGS


  - A -

  A GRANDE FAUNA
 
A Minha Matilde
  A poesia do Zezinho
  alma da terra
  ALMA DE POETA
  almaenamorada
  Ana Luar
  Antona

- B -

  Blue

- C -

  CaRLOS gAMBOA
 
CCata Fdez
  CinQue

- D -

  DaVID MÕNINO
 
Daya Shakti
 
De Bohemia
  de caminho
  De Propósito

  Descontexto
 
DOCES POESIAS
  dreams

- E -

  efe
 
El desvan
  En estos momentos...
  Enquanto houver tempo
  Espejo de Luna
  ESQUITIN
  EStúdio da raposa
  eterna mente

- F -

  Fases da Lua
  fgiucich

- G -

  GUINEVERE

- I - 

  INSULAR

- J - 

  JOLGORIO

- L -

  lugares celestiales
  Luminescências

- M -

  Mentecato
  MenteSSUELTAS
  Meu Querido DiÁrio
 
Mi opio interminable
  MEMORANDU
  Momentos e Documentos
  Moonlight
  Mundo para ti

- O -

  O Alquimista
 
O Arauto da Ria
  O Sibarita
  otra vez aqui

- P -

  PlayingTheAngel
 
POEMAS DO MIGAS
 
POr Aqui Tudo bem
 
Princesa Dariak

- Q -

  ¿Quería Pensar?

- R -

  Realidade Torta

- S -

  SAndra becerri
  Si Yo No GaNo...
  Som & Tom
  Subversos
  SupermamÁ

- T -

  Tarí Alcarin

- U -

  uniVERSO Informal

- V -

  valÉria tarelho

- Y -

  yoymimismo

 
 

INFO BLOG

 

Desde 19 de Abril de 2005

  online



Licença do Creative Commons

 BLOG AMIGO DO AMBIENTE

  quinta-feira, julho 21, 2005

  O SANTO E SEU CASTELO, OS MENINOS PERFEITOS 

 


No alto duma cama de lençóis blindados,
Dentre outras escondidas dentro da cidade,
Deitado dorme o santo e sonha, na herdade
Divina da Razão dos ventres saciados.

Repousa descansado o dia de mil horas
Que o trabalho preenche e o suor enobrece,
Repousa ainda as palas que o olhar empobrece,
Esquecendo das dores as razões e as esporas.

No seio desse mundo dourado e escondido,
Levantam os meninos perfeitos e cantam;
Os seus cantos de luz à alegria remontam,
Pois não podem cantar o mal desconhecido.

E em odes o poeta canta o justo santo,
Canta os meninos puros e a cama mais bela
E enquanto estão tão mudos nasce na favela
mais uma aberração, mais um fel, mais um pranto.

(Em O Ciclo Tenebroso, uma obra ainda inacabada)

Escrito por Kismet
 

NA ESCURIDÃO DA NOITE - O blog do poeta anónimo

 


4 Comentários:

Blogger ¦☆¦Jøhη¦☆¦ disse...
Gosto bastante desta forma como escreves, e este poema encerra a meu ver muita tristeza... pelo menos eu creio que consigo entender a que se refere...
21 julho, 2005 23:31  
Anonymous Anónimo disse...
Poema de tristeza profunda... No entanto escrito de uma forma muito bonita.
Bjs
Nadir
22 julho, 2005 10:37  
Anonymous Clitie disse...
Bem...confesso que estou sem palavras...este texto é excelente!! Agrada-me bastante a maneira como expões os sentimentos.

Parabéns!
23 julho, 2005 14:31  
Blogger Kismet disse...
Se esse poema exprime algum sentimento, tanto melhor, mas procurei limitar-me a descrever o que vejo à minha volta. Toda a obra "O Ciclo Tenebros" gira em torno da cruel realidade da violência na sociedade brasileira. Talvez esse tema se torne mais claro à medida que eu for escrevendo os poemas...
28 julho, 2005 19:13  

Enviar um comentário

<< Página Inicial

 


 Criado por Pedro Nobre | Copyright © 2005 NA ESCURIDÃO DA NOITE.PT :: Todos os direitos reservados