NA ESCURIDÃO DA NOITE

NA ESCURIDÃO DA NOITE.PT


Portugal

Mais do que um blog de Poetas Anónimos... é um encontro de culturas...

E-MAIL (Envie-nos as suas sugestões)


FAMÍLIA NA ESCURIDÃO DA NOITE:

NA ESCURIDÃO DA NOITE.RTA
 

 

A NOSSA EQUIPA

 
 
 

Duas horas de Poesia, Música, Conversas Poéticas, Agenda Cultural, Rubricas, na sua RTA às quartas-feiras a partir das 23h00 com Pedro Nobre & Rute Antunes, nós esperamos por si...


  

Almourol Castelo de Guimarães Castelo de Marvão Castelo de Óbidos Convento de Cristo Convento e Basílica de Mafra Fortaleza de Sagres Fortificações de Monsaraz Igreja de São Francisco - Porto Igreja e Torre dos Cléricos Mosteiro da Batalha Mosteiro de Alcobaça Torre de Belém Paço Ducal de Vila Viçosa Templo Romano - Évora

Portugal (de nome oficial República Portuguesa) fica situado no sudoeste da Europa, na zona Ocidental da Península Ibérica e é o país mais ocidental da Europa, delimitado a Norte e a Leste pelo reino de Espanha e a Sul e Oeste pelo Oceano Atlântico. O território de Portugal compreende ainda as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, situados no hemisfério norte do Oceano Atlântico.

Durante os séculos XV e XVI, Portugal era a maior potência económica, social e cultural do mundo, com um vasto império mundial. É hoje um país desenvolvido, economicamente próspero, social e politicamente estável e humanamente desenvolvido. Membro da União Europeia desde 1986, é um dos países fundadores da Zona Euro, NATO (ou OTAN) e da OCDE.

Capital Lisboa (38°42'N 9°11'O)
Língua oficial Português
Governo Democracia parlamentar
Formação (868 d.C.)
- Independência: 24 de Junho de 1128
- Reconhecida: 05 de Outubro de 1143

Área
- Total: 92,391 km²
- Água: (%) 0.5

Fonte: wikipedia

 
 


Grupo no Hi5

  
 
POEMAS EM ARQUIVO

 

   
 

ÚTEIS...


 Wikipédia, a enciclopédia livre Dicionário de Língua Portuguesa On-Line

Rimador Luso-Poemas

Palavra Terminação

 

SITES & BLOGS


  

SITES


  

Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
http://www.luso-poemas.net

  Cantinho da poesia
 
El Poder de la Palabra
  Instituto Camões
  Jornal de Poesia
  Poesia Erótica
  PROJECTO VERCIAL
 
Rua da poesia
  Triplov

 

BLOGS


  - A -

  A GRANDE FAUNA
 
A Minha Matilde
  A poesia do Zezinho
  alma da terra
  ALMA DE POETA
  almaenamorada
  Ana Luar
  Antona

- B -

  Blue

- C -

  CaRLOS gAMBOA
 
CCata Fdez
  CinQue

- D -

  DaVID MÕNINO
 
Daya Shakti
 
De Bohemia
  de caminho
  De Propósito

  Descontexto
 
DOCES POESIAS
  dreams

- E -

  efe
 
El desvan
  En estos momentos...
  Enquanto houver tempo
  Espejo de Luna
  ESQUITIN
  EStúdio da raposa
  eterna mente

- F -

  Fases da Lua
  fgiucich

- G -

  GUINEVERE

- I - 

  INSULAR

- J - 

  JOLGORIO

- L -

  lugares celestiales
  Luminescências

- M -

  Mentecato
  MenteSSUELTAS
  Meu Querido DiÁrio
 
Mi opio interminable
  MEMORANDU
  Momentos e Documentos
  Moonlight
  Mundo para ti

- O -

  O Alquimista
 
O Arauto da Ria
  O Sibarita
  otra vez aqui

- P -

  PlayingTheAngel
 
POEMAS DO MIGAS
 
POr Aqui Tudo bem
 
Princesa Dariak

- Q -

  ¿Quería Pensar?

- R -

  Realidade Torta

- S -

  SAndra becerri
  Si Yo No GaNo...
  Som & Tom
  Subversos
  SupermamÁ

- T -

  Tarí Alcarin

- U -

  uniVERSO Informal

- V -

  valÉria tarelho

- Y -

  yoymimismo

 
 

INFO BLOG

 

Desde 19 de Abril de 2005

  online



Licença do Creative Commons

 BLOG AMIGO DO AMBIENTE

  segunda-feira, junho 06, 2005

  LÁGRIMAS 

 

Acendi a luz do meu quarto
Tu não estavas lá
Que desilusão me fizeste ter
Não sei se hei-de perdoar ou esquecer
No teu caminho não me vou meter
E o caminho de alguém não quero empatar
Eu por aqui me vou perdendo…
Eu compreendo, mas não aceito
O modo como me deste um não.
Noite sensível esta
Onde houve muita alegria
E triste me puseste
Lágrimas que não mereces
Gozado me senti
Podias ter evitado
O que eu já sentia.
Senti-te perto e longe de mim
Mas de repente
Uma lágrima cai
Vinda do coração
Me fez sentir pequeno e insignificante
Desci à terra
Acordando do sonho
Que me fazia viver
Eu irei esquecer o teu sorriso
Que para mim se tornou venenoso
E rápido me quero curar.
Meu sorriso e olhar
Não te irei dar
Crianças não somos
Tu agiste como tal
Ou então gostavas de me ver sofrer
Para mim morreste
Não mereces uma lágrima minha…

Escrito por Pedro Nobre (24/05/2005, 06h30)
 

NA ESCURIDÃO DA NOITE - O blog do poeta anónimo

 


6 Comentários:

Anonymous Carlos Barros disse...
Nunca esqueças, nunca perdoes... mantem sempre uma chama em ti em que tudo é possível
15 junho, 2005 22:04  
Anonymous Clitie disse...
Olá...
Como é bom descobrir estes blogs, adorei, passarei por cá mais vezes.

Obg pela visita
15 junho, 2005 22:12  
Anonymous Contador de histórias disse...
Por vezes na sombra, na cadeira vazia junto à cama encontramos o que nos falta...

Abraço
15 junho, 2005 22:13  
Anonymous Nadir disse...
Fico a observar as gotas da chuva
Na janela envidraçada
Rolam como lágrimas silenciosas...
Parecem cristais de encanto
É o choro da natureza
Que se junta ao meu pranto...
Lágrimas que correm suavemente...
Abafam o grito de desespero
Que o coração sente....
Nadir
15 junho, 2005 22:14  
Anonymous peter disse...
Olá Nadir.

Gostei do seu poema, se desejar pode contribuir com os seus poemas aqui no blog. Para mais informações vá a http://escuridao.blog.pt/COMO+PARTICIPAR.../. Apareça.
15 junho, 2005 22:14  
Anonymous Helena Limpinho disse...
fogo, deixaste-me estarrecida com as tuas palavras, tive q desligar tudo para m concentrar a ler o teu poema. Gostei. Pensamento: nem tudo o que se ama se deseja, e nem tudo o q se deseja se ama...
15 junho, 2005 22:15  

Enviar um comentário

<< Página Inicial

 


 Criado por Pedro Nobre | Copyright © 2005 NA ESCURIDÃO DA NOITE.PT :: Todos os direitos reservados