NA ESCURIDÃO DA NOITE

NA ESCURIDÃO DA NOITE.PT


Portugal

Mais do que um blog de Poetas Anónimos... é um encontro de culturas...

E-MAIL (Envie-nos as suas sugestões)


FAMÍLIA NA ESCURIDÃO DA NOITE:

NA ESCURIDÃO DA NOITE.RTA
 

 

A NOSSA EQUIPA

 
 
 

Duas horas de Poesia, Música, Conversas Poéticas, Agenda Cultural, Rubricas, na sua RTA às quartas-feiras a partir das 23h00 com Pedro Nobre & Rute Antunes, nós esperamos por si...


  

Almourol Castelo de Guimarães Castelo de Marvão Castelo de Óbidos Convento de Cristo Convento e Basílica de Mafra Fortaleza de Sagres Fortificações de Monsaraz Igreja de São Francisco - Porto Igreja e Torre dos Cléricos Mosteiro da Batalha Mosteiro de Alcobaça Torre de Belém Paço Ducal de Vila Viçosa Templo Romano - Évora

Portugal (de nome oficial República Portuguesa) fica situado no sudoeste da Europa, na zona Ocidental da Península Ibérica e é o país mais ocidental da Europa, delimitado a Norte e a Leste pelo reino de Espanha e a Sul e Oeste pelo Oceano Atlântico. O território de Portugal compreende ainda as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, situados no hemisfério norte do Oceano Atlântico.

Durante os séculos XV e XVI, Portugal era a maior potência económica, social e cultural do mundo, com um vasto império mundial. É hoje um país desenvolvido, economicamente próspero, social e politicamente estável e humanamente desenvolvido. Membro da União Europeia desde 1986, é um dos países fundadores da Zona Euro, NATO (ou OTAN) e da OCDE.

Capital Lisboa (38°42'N 9°11'O)
Língua oficial Português
Governo Democracia parlamentar
Formação (868 d.C.)
- Independência: 24 de Junho de 1128
- Reconhecida: 05 de Outubro de 1143

Área
- Total: 92,391 km²
- Água: (%) 0.5

Fonte: wikipedia

 
 


Grupo no Hi5

  
 
POEMAS EM ARQUIVO

 

   
 

ÚTEIS...


 Wikipédia, a enciclopédia livre Dicionário de Língua Portuguesa On-Line

Rimador Luso-Poemas

Palavra Terminação

 

SITES & BLOGS


  

SITES


  

Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
http://www.luso-poemas.net

  Cantinho da poesia
 
El Poder de la Palabra
  Instituto Camões
  Jornal de Poesia
  Poesia Erótica
  PROJECTO VERCIAL
 
Rua da poesia
  Triplov

 

BLOGS


  - A -

  A GRANDE FAUNA
 
A Minha Matilde
  A poesia do Zezinho
  alma da terra
  ALMA DE POETA
  almaenamorada
  Ana Luar
  Antona

- B -

  Blue

- C -

  CaRLOS gAMBOA
 
CCata Fdez
  CinQue

- D -

  DaVID MÕNINO
 
Daya Shakti
 
De Bohemia
  de caminho
  De Propósito

  Descontexto
 
DOCES POESIAS
  dreams

- E -

  efe
 
El desvan
  En estos momentos...
  Enquanto houver tempo
  Espejo de Luna
  ESQUITIN
  EStúdio da raposa
  eterna mente

- F -

  Fases da Lua
  fgiucich

- G -

  GUINEVERE

- I - 

  INSULAR

- J - 

  JOLGORIO

- L -

  lugares celestiales
  Luminescências

- M -

  Mentecato
  MenteSSUELTAS
  Meu Querido DiÁrio
 
Mi opio interminable
  MEMORANDU
  Momentos e Documentos
  Moonlight
  Mundo para ti

- O -

  O Alquimista
 
O Arauto da Ria
  O Sibarita
  otra vez aqui

- P -

  PlayingTheAngel
 
POEMAS DO MIGAS
 
POr Aqui Tudo bem
 
Princesa Dariak

- Q -

  ¿Quería Pensar?

- R -

  Realidade Torta

- S -

  SAndra becerri
  Si Yo No GaNo...
  Som & Tom
  Subversos
  SupermamÁ

- T -

  Tarí Alcarin

- U -

  uniVERSO Informal

- V -

  valÉria tarelho

- Y -

  yoymimismo

 
 

INFO BLOG

 

Desde 19 de Abril de 2005

  online



Licença do Creative Commons

 BLOG AMIGO DO AMBIENTE

  quarta-feira, maio 25, 2005

  CICLO 

 

Sabendo o que me espera lá fora
Mais um dia de amargura
De Inverno rigoroso
De solidão cruel
Assim me encontro
Desde que me mandaste
Sair da tua vida
O sol já não brilha para mim
Sofro no silêncio
De quem nada tem...
Sinto a vida vazia e a alma pesada
Sei bem como é…
Ninguém me aguarda…
Sem nada para fazer, observo a rua
Olhos tristes vêm
O pouco que há para ver
Os movimentos de quem anda perdido
À procura do seu ser…
À procura do que já deixou…
Aguardo o amor, mas ele tarda
Anda por outra banda
Não passa á minha janela…
Quem me dera vê-la
Mas o vento não a traz…
Sentindo-me triste
Saio para a rua, caminho a pé
Pelas ruas da cidade
Vou reflectindo
Sobre o que era, e o que sou
O que sinto e o que senti
Nos aspectos da vida
Que sinto fugir ao meu controlo
Sombrio e carrancudo
Passo como um fantasma pelas pessoas
Algumas até podem seguir a minha rota…
Almas gémeas que não conhecerei
Uma alma penada me sinto
Uma sombra esguia e discreta
Não deixo rasto no chão...
Assim caminho até ser noite
A lua esconde-se por detrás das nuvens
A estrada escurece, como a minha vida…
Faço o caminho de volta
Regresso a casa, desanimado
Vou-me deitar
Não consigo dormir, penso em ti
Na primeira vez que te vi
Na forma como me cativaste
Quando conversámos sobre tudo o que era banal
Quando te convidei para sair
Quando me apercebi que te amava…
Quando me confessei
E me entreguei a ti…
Penso na esperança que quis ver
Esperança que não existia
Penso na última vez que conversámos
No teu tom de voz desiludido
No meu coração magoado…
A noite passa a madrugada
Os pensamentos continuam
Tento dormir, fechar os olhos
Relaxar a mente e repousar
Finalmente durmo
Mas…
Continuo a ver-te
Nos meus sonhos…
Nem nesse reino sagrado
Encontro o caminho certo
Triste destino me coube
Nem em sonhos, por ti, sou amado
Dou voltas na cama e acabo por acordar
Levanto-me e preparo-me
Sabendo o que me espera lá fora…

Escrito por John (21/05/2005, 02h10m)
 

NA ESCURIDÃO DA NOITE - O blog do poeta anónimo

 


4 Comentários:

Anonymous Zézinho disse...
De tão ausente faz-se omnipresença. Conheço os sintomas.
Excelente a tua poesia.
Abraço
15 junho, 2005 21:51  
Anonymous john disse...
Agradeço o teu comentário, este é um poema muito pessoal, que mostra bem esses tais "sintomas".
Um abraço para ti também.
15 junho, 2005 21:52  
Anonymous Nadir disse...
John,
Li todas as tuas reflexões publicadas no blog, devo confessar que fiquei sem palavras...
Emoção de te ler...
Bjs
Nadir
15 junho, 2005 21:52  
Anonymous Anónimo disse...
Olá John! Somente hoje, li o teu poema, embora seja um bocadinho longo, a mensagem está lá toda, pelo menos para quem conhece a história que se esconde por detrás.
Força! Continua a colocar o teu preciso sentimento nos poemas. Já pensaste em lançar um Livro? Seria, com toda a certeza, um "Best-Seller", pelo menos eu, compraria um. Autografado, né cara?Se liga.
Xau! Fica bem Amigo!
23 junho, 2005 08:56  

Enviar um comentário

<< Página Inicial

 


 Criado por Pedro Nobre | Copyright © 2005 NA ESCURIDÃO DA NOITE.PT :: Todos os direitos reservados